Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2010

Saudade é assim

Descobri que o amor não existe sem saudade. Quem ama quer estar perto. Se está longe, sente saudade porque quer estar perto. O amor é assim. Saudade é assim. Sentir é assim.
Saudade é quando você descobre que faz falta o cheiro, a voz, o sorriso e todas essas coisas pequenas que ocupam grandes espaços - espaços que a gente só sente que existem quando estão vazios. Saudade é a vontade de sentir, a lembrança do que já sentiu. Saudade é assim.
Descobri que sinto. Não existe amor sem saudade e eu sinto toda a falta. E não adianta, enquanto a gente não sente de novo o cheiro, o abraço e as coisas pequenas, a saudade não vai embora. Porque sentir é assim. A saudade é assim.

A vida é filme

A vida é um filme que conta várias histórias em uma só. Às vezes é aquele filme de ação, às vezes é comédia, romance, drama. Às vezes uma coisa leva à outra. É um filme com muitas histórias protagonizadas por várias pessoas diferentes à medida que a vida passa.
A vida é um filme, sim. O problema é que nesse filme, cada cena é exibida somente uma vez. Às vezes também se transforma em um desses filmes que, quando você menos espera, já saíram de cartaz. Ela não é como um DVD onde você pode ver as melhores cenas ou ver finais alternativos para uma mesma história. Você não pode ver a sua vida comentada pelo Criador do roteiro dizendo: "Pensei em fazer você viver essa cena assim por esse e aquele motivo". Apesar de você ser o diretor, você nunca sabe porque certas coisas acontecem de determinada forma. 
E aí vem a troca de capítulos. Depois de fazer coisas que você nunca pensou que faria, de não ver resultados e de enjoar do drama, você decide por um ponto final no que acabou sem u…

Tudo que é sólido se desmancha em imagens

Vídeo que eu fiz para a disciplina de Estética e Cultura de Massas. Curso de Jornalismo da UFSC. 
A professora tinha dado um Título de Obra pra cada um, e deveríamos desenvolver da forma que quisessemos. Resolvi fazer um vídeo porque gosto bastante de trabalhar com edição e tal, e acho que tinha mais a ver com o título que eu tinha, que era "Tudo que é sólido se desmancha em imagens". 
O texto é meu mesmo. A voz de quem tá morrendo também é minha. HAHAHA A intenção inicial era eu mesma fazer a filmagem, mas eu não tinha muito tempo e resolvi usar filmes. Acho que a versão final saiu melhor do que eu esperava. 
Bom, me diverti bastante fazendo esse vídeo. Espero que vocês gostem de assistir tanto quanto eu gostei de fazer. ;)

Selinho

Bom, é a primeira vez em muito tempo que eu escrevo uma postagem mesmo, e não um texto-viagem. Mas é por um bom motivo, haha.
A fofa da M.A do Cotidiano de Mulherzinha me deu o meu primeiro selinho. Sua linda!
Tenho recebido comentários de pessoas que acharam meu blog e gostaram, e tem gente que eu não conheço me seguindo. Acho muito legal saber que mais gente se identifica com o que eu escrevo. Obrigada, pessoas *o*~

Parece que a brincadeira do selinho é indicar 5 blogs, mas eu não consigo indicar só cinco. Indico toda a minha lista de favoritos ali do lado, ok? :B
Ó o presentinho: 

Não contém lactose

é bom,mas...


só quero se forsem lactose.

 e seu.

tá?<3

Das coisas que eu não digo

Dentre as coisas que eu não disse está o quanto gosto de perfumes e sorrisos, de olhares e abraços apertados. Dentre as coisas que eu não disse estão as frases clichê e o quão estranha me sinto quando alguém consegue olhar através dos meus olhos como se pudesse ler meus pensamentos. E gosto. Está que eu sinto ciúme. Não digo e ponto.
Dentre as coisas que eu não digo, estão muitas outras coisas, porque: "Há segredos que não se deixam contar." (Edgar Allan Poe)

As curvas da estrada

Dizem que andei perdendo o rumo, errando de curso, perdendo a razão. Segui placas erradas, dizem que andei na contra-mão. Mas também não dizem que é errando que se aprende? E que às vezes é errando que a gente acerta? A gente tenta seguir as regras, mas as regras não são nossas. É, sigo as regras de um jogo que não é meu e às vezes vivo uma vida que de tão minha parece de outro. Tudo sempre tão igual...
A questão é que eu não tenho mais tempo e nem paciência para voltar todo o caminho e seguir um rumo que, disseram, teria que ser meu. Comecei na contra-mão, e assim continuarei até o fim. Porque, como diria Leminski,
"isso de querer ser exatamente aquilo que a gente é ainda vai nos levar além".  Quero ir muito além das curvas erradas da estrada, quero ir mais longe aqui dentro de mim.

a falta que faz

Abri todas as portas e tirei tudo de lá de dentro. Roupas, meias, calçados, perfumes, papéis. Tudo. Resolvi jogar fora tudo que não fazia mais parte de mim. Sabe quando você vai arrumar o seu armário como se fosse arrumar a sua vida? Eu estava precisando por a minha vida em ordem, definitivamente.
Foi aí que eu encontrei uma caixa há muito esquecida num canto do armário. Uma dessas caixinhas onde a gente guarda a vida inteira, sabe? Ela nem era muito grande, mas dentro dela cabia todo amor que eu tinha, todo amor que um dia alguém me deu. Abri. Um monte de papéis, bilhetes, cartões, fotos... de repente a minha cabeça começou a dar um monte de voltas. Senti de novo o que havia sentido tantos anos atrás. Só não esquece que te amo. Forget this life, come with me
Don't look back, you're safe now
Unlock your heart, drop your guard
No one's left to stop youQuanto tempo ainda falta? I keep dreaming you'll be with me
And you'll never go
Stop breathing if I don't see you…

Estive te procurando

Estive te procurando por boates, botecos, bosques, praças, igrejas, puteiros, corredores, salas de aula. Te procurei na minha cama, na casa da vizinha. Te procurei no meio de uma roda punk de um show de uma bandinha que ninguém conhece, no bar de uma festa onde eu não conhecia ninguém, na recepção do consultório dentista, na fila do banco e do cinema, nas estações do ano e do metrô.
Estive te procurando em discursos inflamados de revolução, na platéia dos teatros, nas ideologias, nas crenças, na fé. No circo, no trapézio, na corda bamba. 
Te procurei em todas as cidades que conheço e até mudei de estado para ver se te encontrava. Geográfico e de espírito. 
Te procurei no líquido, na fumaça. Te procurei em todos os sorrisos que me encantaram, em bocas, olhos, corpos inteiros. Estive te procurando em vidrinhos de perfume dos mais variados: fortes, amadeirados, cítricos e adocicados. 
Ah, amor, me fala onde você mora? Por que é que você se esconde? Não precisa fugir, não... na verdade, eu te…

A quem interessar

Só me diga quando é que a inquietude desse meu coração vai por fim sanar? Quando é que as perguntas que eu faço desde que eu me conheço vão ser respondidas? Por que é que eu vejo sinais que não existem, sinto os cheiros que não são mais meus e sinto a nostalgia bater tão forte, me mostrando que não sou mais criança e que agora devo agir como gente crescida que dizem que sou?
Quem souber que me diga de quantas cores se faz um amor, de quantos sabores se faz um arco-íris, de quantos perfumes se desenha o céu... Quem souber, por favor, me conte de quantos frios na barriga se faz um lar, de quantos sonhos se faz uma canção, de quantas estrelas se faz um olhar, de quantas lembranças se faz uma infância, de quantas brincadeiras de faz uma vida... São essas as dúvidas que me perseguem, são essas as perguntas que me fazem perder o sono.
Ontem, depois de sonhar com tantas melodias e depois de lembrar de toda a gente que foi passando pela minha vida e das vidas por onde passei, descobri que o per…

Sinto Caio f.

"Algumas vezes eu fiz muito mal para pessoas que me amaram.Não é paranóia não. É verdade. Sou tão talvez neuroticamente individualista que, quando acontece de alguém parecer aos meus olhos uma ameaça a essa individualidade, fico imediatamente cheio de espinhos - e corto relacionamentos com a maior frieza, às vezes firo, sou agressivoe tal. É preciso acabar com esse medo de ser tocado lá no fundo. Ou é preciso quealguémme toque profundamente para acabar com isso."
Caio Fernando Abreu



Sinto e tenho sentido Caio f. enlouquecidamente. E assim tem sido por toda a minha vida, a diferença é que antes eu não sabia que ele me (des)escrevia tão bem.

Sensações

“Tento me concentrar numa daquelas sensações antigas como alegria ou fé ou esperança. Mas só fico aqui parado, sem sentir nada, sem pedir nada, sem querer nada.”
- Caio Fernando Abreu in: Pequenas Epifanias -

Reticências

Não consigo organizar as palavras num texto nem as idéias e pensamentos na cabeça e tudo vai rodando e rodando e lá fora as pessoas andando na calçada enquanto eu olho pela janela do ônibus e tudo vai ficando pra trás queria que alguém entendesse a bagunça aqui dentro e por isso não uso vírgulas nem pontos mas parece que isso não faz nenhum sentido pra ninguém além de mim e tudo que eu achei que sentia e na verdade não sinto queria gostar e brincar que minha vida é uma montanha-russa quando na verdade não é e eu não sei se eu gostava da possibilidade de gostar ou do gosto do cheiro que eu vou sentir falta mesmo sabendo que a falta que vou sentir não é falta de sentir mas falta de achar que sente e as coisas todas que eu não consigo explicar e não consigo dizer que não e sempre aceito e aceito sempre porque no fundo concordo com tudo que é dito não por mim mas por alguém que me lê como se eu fosse um monte de palavras soltas e consegue montar as frases que eu mesma não consigo ah e com…

Cada um tem seus motivos pra morrer

Mesmo que sejam motivos pequenos e até bobos, cada um tem pelo menos um motivo que faz perder um pedacinho dentro de si. Cada outro tem sua forma de achar os motivos, e matar os pedacinhos que vivem dentro deste um.
Porque, sempre, cada um tem seus motivos pra morrer e cada outro o seu jeitinho de matar.

Casa suja, chão sujo

- O que deu em você? - Quero que você entenda o que você faz comigo! - O que eu faço com você? Para, porra! Para com isso! - Tá... cansei...
Silêncio. Os dois sentados no sofá olhando pro nada.
- Você é maluca, sabia? - Ué! Por quê? - Há, olha essa casa! Você quer mesmo que eu responda? - Quero! - Eu sei lá, você chegou dizendo que tava morrendo de saudade. Sentamos aqui, começamos a conversar e, DO NADA, você levanta e sai bagunçando a casa inteira! O que deu em você, mulher? - Já falei! queria que você entendesse o que você faz comigo!
Ele olhou pra ela sem entender.
- O que EU faço com você? Tá, então me diz: O QUE eu faço com você? Poxa, eu não consigo te entender! Nunca... - É, eu sei que não. Na verdade, eu às vezes faço um monte de besteiras e tudo por agir por impulso, faço tudo errado. E disso você sabe, não sabe? Mas... eu precisava fazer você ver! Eu já estava ficando sem alternativas, entende? Você chegou e bagunçou tudo na minha vida. Eu tinha a casa em ordem, tudo em seu lugar, tudo …

Em verdade te digo

"Em verdade te digo que não foi naquela hora 
que te pertenci:
quando me tomaste em teus braços poderosos 
e me tiveste sob teus beijos e tua respiração.
Em verdade te digo que não foi naquela hora
mas quando, diante do teu, surgiu meu espírito livre e novo
de rebento inquieto deste século
e descobrimos todas as comunhões das nossas almas.
Quando conheceste as minhas derrotas 
e disseste que eram triunfos.
Quando viste pulsar meu coração nu
e o festejaste.
Quando soubeste que nem sempre
os teus pensamentos são os meus pensamentos
nem os teus caminhos são os meus caminhos
Mas o amor brilhou como nunca em tua face
e me surpreendeste com a torrente de palavras
de que eu tinha sede
desde a minha primeira hora consciente.
Foi quando te pertenci."

 Maura de Senna Pereira

O vento, a chuva e as luzes da cidade

Posso pedir para você ficar um pouco mais? Eu não consigo explicar direito, mas acho que a falta de espaço aqui dentro, a chuva e o vento lá fora já não são as coisas mais importantes...
Descobri que não consigo ir embora porque todos os pedaços de mim que ainda estavam espalhados por aí estão enfim voltando ao seu lugar. Eu descobri isso depois de... eu não me lembro, acho que foi de repente.
Então posso pedir para você ficar? É que sempre que você vai embora, leva consigo um pedacinho de mim...

As flores que te deram...

Sempre foi fácil manter a pose de quem acha tudo bonito e não tem nada na cabeça, né? Sempre foi mais fácil fugir do que enfrentar, esconder do que mostrar... não é? 
Não te ensinaram a ser forte? Você soube manter o roteiro até agora, menina. Então cadê aquele lado atriz que você tinha pra sorrir quando você queria sumir? Sumiu? 
Olha, menina, não adianta querer fugir. Essas histórias todas que você sempre tenta ignorar são a sua vida e foram elas que te transformaram em quem você é hoje, você sabe disso. Você me prometeu que não ia voltar a ser como era antes, não prometeu? Prometeu que nunca mais ia ficar assim, prometeu que ia ser forte e que ia aproveitar o dia. Você lembra? Eu lembro, menina. Foi quando te deram flores...
São poucas as pessoas que conhecem nossa história, eu sei, e acho até bom que seja assim... Mas tente ser forte de novo, não quero te ver triste. Eu sei que às vezes não é tão simples, mas tente seguir o roteiro, ok? Sorria mesmo quando quiser fugir, e lembre-se d…

Você precisa ter coragem

O pescador tem medo de sair em alto mar e voltar sem ao menos uma sardinha solitária em alguma das suas redes. Eu, a sardinha apavorada, tenho medo de ficar presa na rede de algum pescador.
O Mágico tem medo que a mágica dê errado e que o coelho não saia da cartola. Eu, o coelho com medo de gente, tenho medo de sair do meu mundinho.
O palhaço tem medo que o público não ache graça das suas piadas, não chore de rir com suas palhaçadas. Eu, a piada sem graça, tenho medo de chorar quando algum palhaço rir as pessoas rirem de mim.
O jogador de roleta tem medo de apostar no número errado e perder todas as fichas. Eu tenho medo de jogar.
A criança tem medo de tirar as rodinhas da bicicleta e cair de nariz no chão. Pode me chamar de criança, mas eu também tenho medo de quebrar a cara.
É, e a vida é assim: às vezes a gente precisa ter coragem pra fazer de conta que não liga, que não tem medo de perder o jogo. Eu há muito aprendi que devo ser forte e sorrir para o que me apavora, porque se eu …

Neve

Eu sinto frio. Sinto como se tivesse dormido na grama numa noite de inverno, como se o orvalho tivesse pousado sobre meu corpo. Sou um boneco de neve, uma garota de gelo. EI! Tem alguém aí? Só minha própria voz ecoando pelos cantos, provando que estou sozinha e não vai adiantar ser forte agora. Se eu gritar, alguém vai ouvir? Estou vendo tudo se repetir, e eu não posso fazer nada. Estou de mãos atadas, mais uma vez.



outubro de 2008

Pois é...

E se eu te contar que hoje sonhei com você? É, mesmo depois de ter esquecido a história toda e não sentir mais nada, e não gostar mais de nada, depois das coisas se perderem...
Eu fiquei me perguntando se esse sonho não veio pra eu não esquecer que você me fez bem. Porque eu fui me esquecendo do que eu gostava em você, fui me esquecendo do porque daquilo tudo começar, esqueci de como acabou: primeiro fui perdendo os detalhes e  depois, quando me dei conta, eu nem sabia mais quem você era, descobri que não te conhecia mais...
Hoje eu sonhei com você e, apesar de não lembrar de muita coisa, sei que o que meu sonho nunca aconteceu. A sensação que eu tive foi que "bom, poderia ter sido assim...". Você já sentiu isso?
Sinto falta de alguém pra gostar, sinto falta de sentir falta de alguém. Acho que matei as borboletas que voavam no meu estômago quando eu te via. É, parece que pra esquecer de tudo, matei todas elas... 
DEUS! Eu só queria entender por que não lembrar dessas coisas tã…

As coisas velhas passaram...

- Bom, pelo menos o telefone tá tocando... - Você tá ligando por quê? Diz que quer fugir, mas...
Ela sempre diz que não era assim, que nunca se importou assim com ninguém, que ninguém antes tinha causado esse efeito nela, que nunca tinha sentido dor pra respirar, que o frio na barriga nunca tinha se transformado em soco no estômago, que nunca tinha feito tanta besteira, nunca tinha errado tanto tentando acertar, que nunca tinha forçado a barra desse jeito - mas foi sem querer, eu juro!-, que nunca... Ela diz que nunca tinha chorado tanto, nunca tinha sido tão fraca, tão burra. Nunca tinha visto o tempo passar tão devagar, nunca quis que o tempo se arrastasse tanto, nunca quis fugir tanto, nunca quis tanto aprender a mentir, a disfarçar... e ao mesmo tempo escancarar e gritar com todas as letras, sem as malditas entrelinhas, pra ver se assim conseguia uma resposta, um sinal de vida.
E depois repetia aquela história que já tinha me contado várias vezes. - O tempo passou, ele já deve ter seg…

A Valsa

"Nós queremos uma valsa  Uma valsa para dançar..."
Foram 54 anos de valsas dançadas. No início eles dançavam sozinhos, mas aos poucos foi surgindo uma ciranda ao redor do casal. Vieram os filhos, depois os netos e bisnetos. Tantas vozes cantando uma mesma valsa e fazendo ciranda para que eles dançassem... 
A ciranda rodando e os dois dançando. Cinquenta e quatro anos e ela parou de dançar. O que aconteceu? Flores, lágrimas, velas. Foi em 1 de agosto de 2004.

Ele ficou sozinho no salão, mas a vida continua e ele não podia parar de dançar. A valsa continuava tocando, e, mesmo sem par, ele dançava.

"Mas se a valsa morrer   Que saudade que a gente vai ter..."

Toda vez que eles cantavam e a ciranda rodava, ele cantava junto, baixinho, suspirando. Fechava os olhos e imaginava que ela estava com ele mais uma vez. Um passinho pra cá e outro pra lá, mesmo quando o corpo já não correspondia tão bem...
Quase seis anos depois, no dia 14 de junho de 2010, ele parou de dançar também. E…

Quase (Luiz Fernando Veríssimo)

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto.
A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. 
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não ter…

Zero e um

Um dia você disse que eu escreveria sobre você e e que eu sentiria a sua falta antes mesmo de você ir embora. Eu ri, achei que isso nunca mais aconteceria comigo. Eu? Escrever sobre você? Você esteve na minha vida o tempo todo, por que seria pauta de hoje?
Lembro como se fosse ontem à tarde: Eu deitada na sua cama, olhando pra você e rindo das bobagens que você dizia. É, eu te contei que meu passado ainda interferia no meu presente, e foi aí que você me disse que "A gente só esquece uma pessoa quando encontra outra". Eu sabia de tudo isso, mas eu não imaginava que essa outra pessoa seria você. Era estranho demais pensar em você assim naquela situação. Eu ainda não sentia a sua falta.
Pra você ver, né? Olha só como vida é. Até bem pouco tempo atrás você era aquele cara que eu conhecia há muito tempo, mas que nunca passaria de um bom amigo. Pois é, o jogo virou e eu não consigo mais me sentir culpada por tudo ter acontecido desse jeito. Toda essa confusão tem me feito pensar: &…

...

"Feliz é a inocente vestal; Esquecendo o mundo e sendo por ele esquecida. Brilho eterno de uma mente sem lembranças; Toda prece é ouvida, toda graça se alcança."
(Alexander Pope)

Sobre a beleza das coisas que a gente perde...

Um dia me disseram que "As coisas precisam ficar feias e bagunçadas antes de ficarem bonitas". Não lembro o contexto em que essa frase se aplicava, e nem quem disse, mas agora entendo o que ela diz. Só agora pude perceber que essa frase pode ser aplicada a tudo na vida.
Como quando você reforma uma casa: você precisa quebrar paredes, colocar portas, e deixar a casa numa verdadeira bagunça até que a reforma fique pronta e ela se transforme, enfim, em uma casa mais bonita. Se você está doente, precisa se entupir de remédios, às vezes fica sem comer direito e sofre com alguns outros sintomas até que você fique totalmente curado. Quando você ama alguém que não te ama mais, você ainda fica um tempo pensando naquela pessoa e chora um pouco, mas um dia você a esquece, fica bem de novo e encontra uma pessoa especial... Tudo fica bagunçado antes de se ajeitar, e é nessa bagunça que você vê o que perdeu e o que precisa conquistar para que tudo fique organizado outra vez.
Sabe aquela coi…

A tal da vírgula

Hey! vem cá... Senta aqui do meu lado, acho que a gente precisa conversar. Ou, ficar em silêncio, sei lá, mas verdade seja dita: já ficamos em silêncio durante tempo demais...
Bom, na verdade, eu só queria dizer uma coisa: depois de todas as bobagens, de todas as coisas que eu deveria ter feito e não fiz, e das que fiz e não deveria ter feito, a única verdade, a coisa mais certa de tudo isso, é que a gente não cumpriu o que prometeu. A tal conversa que ia acontecer um dia não aconteceu e nós sabemos muito bem, nunca vai acontecer. Colocamos uma vírgula ao invés de um ponto final na frase, e talvez seja justamente por isso que a gente continua agindo como se a história toda tivesse acontecido na semana passada. É, e isso é estranho, não é? Já faz tanto tempo, tanta coisa já aconteceu e a gente continua olhando a paisagem com cara de "eu não sei o que fazer então vou fingir que não estou vendo você aqui do meu lado".
Isso me incomoda, de verdade. Primeiro porque essa cara sempre…

Pra dizer que eu te amo e te quero comigo

Sabe, algumas vezes eu chorei depois de lembrar de tudo que a gente já viveu e pensar que agora que tudo é tão diferente. Pensar que eu não sou mais a mesma, não acredito mais em tudo como antes, e que agora, por mais que eu lute e diga que tudo vai ficar bem de novo, não posso evitar que o medo e um pouco de pessimismo fiquem rondando esperando o dia que eu for fraca.
Eu quero acreditar, de verdade, que tudo vai dar certo -EU SEI QUE VAI!- mas é tão difícil... Vem o medo de perder alguém que amo MUITO e que me ensinou muita coisa. Vem a sensação que eu mais temo e que  já senti tantas vezes na minha vida: a de estar com as mãos atadas. 
Tudo isso porque eu te amo. Eu te quero bem, te quero comigo. Hoje e ontem, e antes de ontem, me apeguei às lembranças... daquele tempo em que eu achava tudo mais fácil e achava que você era o cara mais forte do mundo.

Mas eu não quero ser egoísta. Não quero pedir pra você ficar se isso não for o melhor pra você. Eu só quero o melhor, quero te ver bem d…

Pra declarar minha saudade...

Hoje eu senti saudade. Depois da mesa do bar, das garrafas de cerveja, da sinceridade excessiva, do efeito passar, do sono chegar, de ter o mesmo sonho de sempre, do despertar, da dor de cabeça... hoje eu senti um aperto no peito. Vi aquelas velhas fotos, daquele tempo em que não havia contas a pagar, e senti um vazio.
Hoje, mais uma vez, me dei conta: Em um dia você está se formando no ensino fundamental, no outro passa no vestibular, e não vai demorar muito para se formar na faculdade... E as pessoas que vão ficando pelo caminho, as histórias que você vai escrevendo e desenhando nas linhas do tempo, tudo te faz lembrar que algumas dessas coisas não tem volta.
Hoje aquele sonho me fez ver, de novo, que eu quero que algumas  pessoas continuem na minha vida (ou que voltem pra ela), mas bem, algumas coisas não dependem só de mim. No sonho, tudo sempre acontece de um jeito diferente, mas sempre termina igual, do jeito que eu queria que terminasse. Mas, bem, não depende só de mim.
Hoje eu se…

Apesar de, se deve viver...

“Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente.

Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita fui a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteira, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, esperarei quanto tempo for preciso.” 
Clarice Lispetor

Aquela caixa

Peguei aquela caixa, esquecida no canto da prateleira desde que você foi embora, e abri. Lá estavam todas as lembranças que eu tinha de você... Aquela era a única caixa que eu ainda mantinha fechada. Mas hoje, ah, hoje foi diferente.

O fato é que hoje nenhum daqueles bilhetes me afetou, por mais estranho que pareça. É, e por alguns instantes eu até esqueci o porque de tê-los guardado por tanto tempo.

Hoje foi um dia diferente. Hoje eu acordei sem saber quem você era, acordei sem saber porque guardo bilhetes seus.

O quê? Não entendeu ainda? Bom, o que eu estou tentando dizer é que você não precisa mais se preocupar com as suas coisas que eu guardava. Mandei de volta. Tudo. Agora vou procurar outros bilhetes que não os seus...

Sim, é isso mesmo! A caixa está vazia de novo, coração. Não era isso que você queria ouvir?

Frágil

"Frágil – você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. Um dia mandará um cartão-postal de algum lugar improvável. Bali, Madagascar, Sumatra. Escreverá: penso em você. Deve ser bonito, mesmo melancólico, alguém que se foi pensar em você num lugar improvável como esse. Você se comove com o que não acontece, você sente frio e medo. Parado atrás da vidraça, olhando a chuva que, aos poucos começa a passar."

Caio Fernando Abreu

O dedinho

Existem coisas que se atraem: o dedinho e o sofá, camisa branca e um pedaço de pizza cheio de catchup, a geléia da torrada e o tapete da cozinha... são coisas que se atraem mas não deveriam. Por quê? Porque algumas dessas coisas causam dor, outras só decepção.

E algumas coisas não fazem sentido. Vivo me perguntando o porque de sempre estar batendo o dedinho no sofá. Será que eu nunca aprendo? E não, não adianta você olhar por onde anda, porque o sofá vai estar sempre lá, esperando o momento em que você estiver distraído para seduzir o seu pobre dedinho...

Uma guerra deixa lembranças e traumas, um tombo deixa cicatrizes, um amor deixa marcas, um dedinho no sofá causa dor... O amor é uma guerra e também um sofá. Uma guerra que, como em qualquer guerra, não deixa que nenhum dos lados saia completamente ileso. Se ninguém sai ferido, é porque não existiu a guerra, não existiu o amor. Um sofá que, como eu já disse, está ali, esperando um momento de distração para fazer você chorar mais uma ve…