Zero e um

Um dia você disse que eu escreveria sobre você e e que eu sentiria a sua falta antes mesmo de você ir embora. Eu ri, achei que isso nunca mais aconteceria comigo. Eu? Escrever sobre você? Você esteve na minha vida o tempo todo, por que seria pauta de hoje?

Lembro como se fosse ontem à tarde: Eu deitada na sua cama, olhando pra você e rindo das bobagens que você dizia. É, eu te contei que meu passado ainda interferia no meu presente, e foi aí que você me disse que "A gente só esquece uma pessoa quando encontra outra". Eu sabia de tudo isso, mas eu não imaginava que essa outra pessoa seria você. Era estranho demais pensar em você assim naquela situação. Eu ainda não sentia a sua falta.

Pra você ver, ? Olha só como vida é. Até bem pouco tempo atrás você era aquele cara que eu conhecia há muito tempo, mas que nunca passaria de um bom amigo. Pois é, o jogo virou e eu não consigo mais me sentir culpada por tudo ter acontecido desse jeito. Toda essa confusão tem me feito pensar: "será que não era pra ser assim mesmo?".

O mais estranho é pensar que, de uma hora para a outra, uma cama de solteiro ficou grande demais pra uma pessoa só e que sempre que um perfume faz falta, comprar um vidrinho desse mesmo perfume não vai fazer a saudade diminuir. Às vezes acho que sou louca por pensar em tudo isso, mas a verdade é essa: hoje eu faço tudo que pensei que jamais faria. Eu escrevo sobre você, e sinto sua falta antes mesmo de você ir embora.

01000101011101010010000001110100011001010010000001100001011011010110111100100001

Simples assim. Zero e um.

Postagens mais visitadas deste blog

Eu preciso de...

Pausa pro café

Souvenir