Postagens

Mostrando postagens de 2009

Ciclo

"Os seres nascem, crescem, se reproduzem, envelhecem e morrem" - é aquele seu livro de Ciências da 1ª série do fundamental te fazendo pensar. Mas e aí? O tempo está passando, e o que você fez? Se distanciou o suficiente do livro pra dizer que a vida valeu a pena? Ou só deixou o tempo passar, esperando o dia pra morrer? Caminhou pelas próprias pernas, ou passou a vida toda sendo levado pela mão?

Insuficiente

Um dia ela vai aprender que romantismo às vezes é perda de tempo, e que o único amor realmente correspondido é amor próprio. Um dia ele vai sentar no banquinho da praça, olhar pras árvores, pensar nas coisas que aconteceram e se dar conta de que algumas conversas prometidas jamais acontecerão. Um dia eles vão olhar pra trás e entender que tudo não passou de um grande mal-entendido. Ela achava que gostava, ele achava que correspondia.

Um dia a gente aprende que a vida não passa de um monte de escolhas: ir ou ficar, insistir ou desistir, eu ou você. Você aprende que nem sempre essas escolhas são suas, que elas acontecem independentemente da sua vontade e muitas vezes são escolhas das quais você não faz parte. Você é só uma alternativa descartada.

Um dia eles vão ver que erraram muito, mas que das escolhas certas que fizeram, as mais importantes se deram depois que conseguiram enxergar que às vezes é melhor ir do que ficar, desistir do que insistir, e escolher a si mesmo pra não ser inj…

Mudanças

Cansei.
Cheguei à conclusão que preciso aprender a escrever como gente grande.

Às vezes as mentiras também ajudam a viver

Durante o dia a gente tenta
Com sorrisos disfarçar
Alguma coisa que na alma
Conseguimos sufocar

Traumas - Los Hermanos

É hora de acordar

É hora de parar de sonhar.
Essa é a hora em que o frio na barriga se transforma num soco no estômago.

Furuba *---*

Imagem
"Foram muitas coisas que aconteceram. Foram muitas as coisas que terminaram deixando cicatrizes, muitas cicatrizes. É difícil expressar em palavras. É impossível fazer tudo desaparecer como que num passe de mágica. Em todos nós ainda restam dores, feridas abertas que não revelamos a ninguém."


Tohru - Fruits Basket Vol. 23

Você é eternamente responsável por aquilo que cativa...

Imagem
O sentimento do irreparável gelou-me de novo. E eu compreendi que não podia suportar a idéiade nunca mais escutar esse riso. Ele era para mim como uma fonte no deserto.

O Pequeno Príncipe

A varanda

Ele estava sentado na varanda, olhando para a praça, como fazia todos os fins de tarde, há vários anos. Às vezes, alguém senta ao seu lado e ali conversam durante muito tempo, mas na maioria das tardes, ele fica ali sozinho, com um olhar distante, talvez pensando nos dias em que ele ficava naquele mesmo lugar, de mãos dadas com aquela com quem dividiu toda uma vida.

Há alguns anos a cadeira dela está vazia. E durante esses anos, ele sente a sua falta. A metade vazia da cama e do armário, uma xícara a menos na mesa do café, uma aliança a mais na mão esquerda, e o passinho lento que não se ouve mais pelo assoalho. Os retratos espalhados pelas paredes, o sorriso que não é mais o mesmo. Sobra tempo e espaço, falta um pedaço.

Difícil saber no que ele pensa, mas é olhando pra ele, ali, sozinho no canto na varanda, é que a gente percebe como é bom, ao mesmo tempo que é também difícil, ter alguém de quem você sinta falta.

É bom ter aquela pessoa do seu lado sempre, saber que você a ama e que…
Um vazio no peito e uma luz lá dentro, piscando feito um letreiro:
O-L-H-AE-U A-Q-U-I
O pior é ver que aquela sensação está voltando, sem motivos.
Talvez seja medo de ficar sozinho no escuro
Talvez seja só o medo de perder.
Mas a questão é:
Ninguém perde o que não possui.

Dama de Copas

Imagem
"I'm willing and able
So I throw my cards on your table..."

*-*

Imagem
"Odeio o modo como fala comigo, e como corta o cabelo. Odeio o modo como dirige meu carro, e o seu desmazelo. Odeio suas enormes botas de combate. E como consegue ler minha mente. Odeio tanto isso em você, que até fico doente. Odeio como está sempre certo, e quando você mente. Odeio quando me faz rir muito, e mais quando me faz chorar. Odeio quando não está por perto, e o fato de não me ligar. Mas eu odeio principalmente não conseguir te odiar. Nem um pouco, nem mesmo por um segundo. Nem mesmo só por te odiar."
Do filme "10 coisas que eu odeio em você"

Não é fácil

Não te ver, não te encontrar, não te esquecer, não te esquecer e não te ver. Nada disso é fácil. Não é fácil gostar. Não, não. Não é nada fácil.

Querer e querer.. não tocar. Sentir sem entender o porquê. Amar. Não é fácil amar.

Todos os caminhos levam a você, todas as fotos fazem lembrar, nenhum mapa me deixa esquecer todas as coisas que eu deixei de dizer, e por todo o tempo, não cansei de esperar.

E por tudo o que eu "tenho" e não posso ter, tudo que eu queria... ah! como queria!... e quero ainda.

Um único verbo, já falei, repeti. Digo, sim, repito sem parar.

E dos sonhos que eu não deixo de ter, o maior deles é quando te vejo chegar. Todas as noites se repete, todas as manhãs eu peço pra ele não terminar.

Você conta com a sorte, peça então que ela te traga aqui. Eu conto dias e horas, e espero que um dia a contagem tenha fim. Pra isso não ter fim.
"Eu preciso te ver
Eu preciso te ver
Eu preciso do teu sorriso
Você sabe que eu preciso
Eu preciso te ver"
Uma música que…

Eu sei

Eu sei que ninguém vai conseguir tirar o sorriso bobo que vai ficar estampado no teu rosto. Eu sei que uma contagem regressiva está acabando e uma progressiva está prestes a começar. Eu sei de tudo isso, mas não sei o que dizer.
Eu sei de todas as músicas, eu sei dos sorrisos, eu sei de tudo isso.
Eu sei das palavras, dos calendários, dos relógios que têm girado ao contrário nas últimas horas e dias.
É, eu sei de todas essas coisas mas ainda não sei o que pensar, não sei o que dizer, não sei o que fazer pro tempo passar. Mas eu sei que vai passar.
"Eu sinto que tudo está interligado
Tudo que está acontecendo não é por acaso
Eu sinto a mesma coisa que você
Tudo que você vem dizendo eu já tinha sonhado"

Não espere demais

Não espere muito de mim. Não tenho muito talento para dizer ou fazer o que as pessoas esperam que eu faça. Na maioria das vezes, elas se decepcionam. Então não se encha de expectativas a meu respeito, não se engane com as aparências. Não espere demais, eu não quero magoar você.

Falando assim, faço parecer tão fácil, não é? "Não crie expectativas". Como se a gente conseguisse mesmo controlar esse tipo de coisa. É, eu sei. Sei muito bem, mais do que gostaria.

Vivo me enchendo de expectativas a respeito de muita coisa, muita gente. Na maioria das vezes, eu me decepciono, outras vezes eu só me surpreendo. Vivo dizendo pra mim mesma: "Hey! Seja mais realista!", mas não adianta muita coisa. Eu sonho demais e sou impaciente, impulsiva e ansiosa demais pra ser realista.

Minha maior especialidade é magoar quem eu gosto. Não, não me orgulho disso. Nem um pouco. Mas às vezes a gente precisa enxergar a verdade, por mais difícil que seja. A gente precisa ser realista alguma vez…

Estou doente

Estou doente. Sinto calafrios, arritmia e falta de ar. Estou doente, muito doente. Só não sei se essa é uma doença somente física. Tenho sonhos estranhos, pensamentos confusos, e acho que ando distraída demais. É, acho que estou meio fora do meu juízo perfeito.
Estou doente, muito doente, de uma doença sem uma cura aparente, e eu, sinceramente, ando pensando seriamente, acho que nem quero me curar. Não tem mais volta, estou muito doente.

O meu medo agora, é o de ser hipocondríaca, ou maluca, talvez. De achar que estou adoecendo, quando, na verdade, estou muito sadia, muito sã. Tenho mais medo ainda de estar adoecendo sozinha. Não, eu não quero me curar, mas também não quero adoecer sem ninguém a meu lado, e sofrer sozinha. Sim, tenho medo que os meus sintomas sejam só meus.

Estou muito doente, mas tenho medo de falar o que sinto e depois ter de encontrar uma cura pra essa minha doença. Doença terrível que faz o ar me faltar, me faltar também o chão, a vista escurecer, e meu coração ba…

A mesma música

De novo eu senti um fiapo de vida nova, um pingo do pouco das novas cores. De novo eu acordei com um sorriso nos lábios e pedi mais 5 minutos pra voltar a sonhar. Mais uma vez achei graça de tudo, saí pela rua falando e rindo sozinha. Ouvi a mesma música pela 12ª vez com o mesmo sorriso bobo daquele dia, e com os olhos fechados pra não perder nenhum dos detalhes. Não esquecer nada daquilo que gosto tanto de lembrar. Pela primeira vez em muito tempo, senti o frio que não vem com o inverno, pedi pro tempo passar mais rápido e meu coração bater mais devagar. Toda e qualquer música agora lembra a mesma coisa, pessoa, situação, lugar... tudo lembra o que eu gosto de lembrar. De novo eu senti o medo da solidão, de me perder de alguém que não posso perder, porque não me pertence. Medo de ficar sozinha, mesmo já estando. Medo de acabar sozinha de novo, sim, mesmo nunca tendo deixado a solidão.


Paralelamente

Imagem
Eu me sinto feliz. É estranho, porque não tenho motivos, mas me peguei suspirando. E não, não tenho ninguém que me faça suspirar. Há tempos não há. Há tempos não sinto aquele frio na barriga, a vontade de rir à toa, borboletas no estômago. Há tempos só sonho com os olhos fechados, mas estou feliz.

Há tempos, também, não escrevo sobre coisas felizes. Realmente felizes, eu digo. Porque tristeza, saudade, quase-amores, desamores... parece que tudo isso traz mais inspiração. Não que saudade seja algo ruim, mas ainda sinto saudade de olhares e sorrisos.

Sinto, sim, mas fazer o quê? Cada um segue seu rumo. As vidas se separam e se reencontram o tempo inteiro, mas acho que aquele sorriso, sabe, AQUELE sorriso em especial provavelmente seguiu um caminho diferente do meu para não mais me reencontrar. Acho muito bom, até. Às vezes acho, às vezes tenho certeza, de que seguimos caminhos diferentes, mas paralelos. Um sabe do outro, mas cada um segue sua vida. E vejo que matemática nunca fez tanto…

Até uva passa

A vida é engraçada. Às vezes você anda, anda, anda, e nunca sai do lugar. Acha que encontrou novos horizontes, que vai escrever novas histórias, descobrir novos amores, enfrentar novos desafios, e de repente, não mais que de repente, você se dá conta que o fim da estrada é o ponto de partida.

Mas isso passa, "tudo passa, até uva passa". Nada dura pra sempre. Você só precisa de força e esperança pra seguir em frente, pra não nadar e morrer na praia, pra não se afogar em um mar de angústias e frustrações.

Eu sei, tudo vai passar, mas não consigo deixar a impaciência e as expectativas de lado. Será que vai dar certo mesmo? Queria tanto que fosse diferente... Mas nada dura pra sempre. Nem as esperas, nem a sensação de vazio no peito, nem os sentimentos mais maravilhosos do mundo. Tudo acaba um dia. Tudo passa.

A angústia se faz maior quando você vê que as pessoas ao seu redor andam em linha reta enquanto você dá voltas e voltas, em círculos e ciclos intermináveis. Mas não é algo…

Pacote de jujubas

Imagem
Em matéria do que chamam de amor, me sinto como quando compro jujubas. Eu abro o pacotinho e tiro uma para por na boca, mas nunca sei a cor que virá, a menos que eu tire a mão do pacote, escolha a cor e comece a procurar lá dentro. Sim, falo desses sentimentalismos banais e é assim que me sinto.

Já fui dessas que escolhem a cor das jujubas. Sempre queria as mais coloridas e no fim acabava escolhendo sempre as mesmas cores. Ficava sempre com o mesmo gosto na boca, gosto esse que na maioria das vezes não era tão doce quanto eu esperava. Por isso cansei.

Sim, cansei. Cansei de procurar sempre pelos mesmos gostos, cansei de viver tudo sempre tão igual, cansei do roteiro quase imutável e muito pouco flexível da minha escolha de jujubas. Resolvi que queria da vida o inesperado e vem dando muito certo, pelo menos até agora.

O problema, é que agora vivo um daqueles momentos em que busco uma nova jujuba. Sem nenhuma pista do que virá, na expectativa de que seja a mais doce de todas as jujubas.…

Vidro Quebrado e Flores no Jardim

Imagem
Era como se meu corpo fosse feito de cacos de vidro afiados. Não importava o que eu fizesse, eu sempre cortaria alguém que amava. Eu era como um bibelô de cristal caído de uma prateleira ou estante qualquer, que agora não passava de um amontoado de cacos de vidro que ninguém quer por perto. Ninguém quer se machucar.
Eu me sentia sozinha, no escuro. Era como se eu estivesse em um universo paralelo. Pensei em ficar por lá e deixar que as outras pessoas seguissem suas vidas, tentando cicatrizar os cortes e feridas que eu havia lhes deixado como lembrança. Pensei em não voltar. Me odiava por ser do jeito que era, me sentia mal pelo fato de machucar todos à minha volta.
O fato é que ninguém vive de aparências. Descobri que meus cacos de vidro, tão afiados, não passavam de uma farsa que eu havia criado para me proteger de algo que nem eu mesma podia saber exatamente o que era. A máscara caiu. Me enganei, sim, durante muito tempo, mas apesar do vidro ser falso, as cicatrizes eram reais. As ma…

Inércia

Inércia. Acho que esse era o nome do que eu senti por algum tempo. Era como se eu estivesse anestesiada, como se nada mais fizesse diferença. Minha vida ia mudar, meus amigos, minha casa. Eu sentia um aperto toda vez que me perguntavam se era isso mesmo que eu queria, e de fato era, mas talvez eu não estivesse preparada pra uma mudança tão grande. Sempre me perguntavam e a resposta era sempre a mesma "lógico que é isso que eu quero, mas ainda espero pelos resultados".
Veio a lista. Por dentro senti um alívio gigante: "é aqui o meu lugar", mas mesmo assim, continuava a sensação de inércia. A tendência de continuar como eu estava, onde estava, porque nada fazia diferença, isso até ela chegar.
Ela chegou, olhou para os lados, para os móveis, paredes, cortinas, procurando qualquer coisa que lhe dissesse: "hey, eu já estive aqui". Nada. Respirou fundo e disse que não conhecia o meu lugar, não se lembrava de mim. Será? Um nó na garganta, pés sem chão. Será mesm…