A mesma música

De novo eu senti um fiapo de vida nova, um pingo do pouco das novas cores. De novo eu acordei com um sorriso nos lábios e pedi mais 5 minutos pra voltar a sonhar. Mais uma vez achei graça de tudo, saí pela rua falando e rindo sozinha. Ouvi a mesma música pela 12ª vez com o mesmo sorriso bobo daquele dia, e com os olhos fechados pra não perder nenhum dos detalhes. Não esquecer nada daquilo que gosto tanto de lembrar. Pela primeira vez em muito tempo, senti o frio que não vem com o inverno, pedi pro tempo passar mais rápido e meu coração bater mais devagar. Toda e qualquer música agora lembra a mesma coisa, pessoa, situação, lugar... tudo lembra o que eu gosto de lembrar. De novo eu senti o medo da solidão, de me perder de alguém que não posso perder, porque não me pertence. Medo de ficar sozinha, mesmo já estando. Medo de acabar sozinha de novo, sim, mesmo nunca tendo deixado a solidão.


Postagens mais visitadas deste blog

Eu preciso de...

Pausa pro café

Sobre o amor libertário