Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

Pra se perder

Ciúme
eu que achava que era imune
descobri que não sou mais

- Você é normal, afinal...
Sempre achei estranho
esse negócio de sentir sem tamanho
mas não sentir assim, nenhum medinho
nada, um tantinho
de perder

Per der o que? O que nunca tive?
Coisa mais sem sentido
Ciúme do que não foi perdido
mas que também não é meu
que da minha parte é querido
mas e da outra parte?
Perigo

Perigo de não saber dizer
se é sim ou se é não
Perigo de não querer
o que tem nome doce
coração

Rima minha é rima torta
mas que sirva de aviso
se não quer ficar, que vá embora
de vez
e não me venha mais com teu sorriso

que minha parte é querido
mas tua parte é o que?
amigo
só isso






"Pra se perder no abismo que é pensar e sentir" Los Hermanos

Amor é fogo que arde sem se ver

E continuava brincando com fogo. Mas fogo é imprevisível: aquece e conforta, mas também machuca quem não toma cuidado. O vendaval que der na telha faz a chama se alastrar, destruir o que servir de combustível. Aparece perigoso em um momento e, numa mudança de vento, vira brasa. Acaba, vira pó. Deixando um rastro de cinza e fumaça.


- Avisa ele, menina! Avisa que brincando com fogo vai acabar se queimando...
 Pois é, avisei. E quem não sabe brincar ou se queima ou faz o fogo se apagar.

Porque eu gostava de escrever

Era uma dessas manhãs de segunda-feira em que, só pra variar, eu chegava atrasada na aula. Eu pensava que ia fazer aquela disciplina só por fazer, porque era obrigada, e sabia que possivelmente eu não iria seguir a profissão na qual iria me formar. Pois é, indo até o fim de um curso de quatro anos para não trabalhar naquilo. 
Uns diziam que era loucura, perda de tempo. Outros me perguntavam o porque de insistir em algo que eu mesma sabia que não tinha muito futuro. A verdade é que eu não sei, nunca soube. Talvez eu não tivesse mesmo a ver com essa coisa de apuração e reportagem, mas mesmo correndo o risco de não usar nada daquilo depois, eu permanecia ali. Era como um vício do qual eu não conseguia me libertar. Quanto mais eu tentava fugir, mais perto do final e mais "presa" àquilo eu estava. 
A sensação que eu tinha é que eu era a mulher traída, mas perdidamente apaixonada pelo traidor. Pensar naquilo como uma profissão me deixava um tanto perdida, da mesma forma que dói p…

Porque eu gostava de ler

Tem um vazio tão grande aqui dentro, como se me faltasse inspiração...
Mas não, só faltam as palavras
escreve
apaga
escreve
escreve
apaga
pára

Será que desaprendi a sentir? Ou foi essa tal de objetividade que calou o que eu sentia antes de tudo isso começar?