Pular para o conteúdo principal

As coisas velhas passaram...

- Bom, pelo menos o telefone tá tocando...
- Você tá ligando por quê? Diz que quer fugir, mas...

Ela sempre diz que não era assim, que nunca se importou assim com ninguém, que ninguém antes tinha causado esse efeito nela, que nunca tinha sentido dor pra respirar, que o frio na barriga nunca tinha se transformado em soco no estômago, que nunca tinha feito tanta besteira, nunca tinha errado tanto tentando acertar, que nunca tinha forçado a barra desse jeito - mas foi sem querer, eu juro!-, que nunca... Ela diz que nunca tinha chorado tanto, nunca tinha sido tão fraca, tão burra. Nunca tinha visto o tempo passar tão devagar, nunca quis que o tempo se arrastasse tanto, nunca quis fugir tanto, nunca quis tanto aprender a mentir, a disfarçar... e ao mesmo tempo escancarar e gritar com todas as letras, sem as malditas entrelinhas, pra ver se assim conseguia uma resposta, um sinal de vida.

E depois repetia aquela história que já tinha me contado várias vezes.
- O tempo passou, ele já deve ter seguido um rumo bem diferente, e eu não. Eu tô aqui esperando ainda, e eu me sinto tão idiota... porque eu já fiz tudo o que eu podia, e mesmo assim... Ah, eu só queria que isso acabasse de uma vez, sabe? Eu nunca fui assim, eu juro que eu não era assim. Se me diziam que acabou, se eu pensava "é, ponto final", ERA FIM, POXA!! Mas isso parece que nunca acaba, eu não esqueço. O tempo passa e isso só aumenta, e só me faz mal, me sufoca, porque sou eu sozinha com isso, sem ter o que fazer...

E é sempre a mesma coisa que eu digo:
- Eu, sinceramente, não gostaria de ver vocês dois juntos de novo. Acho que ele realmente não vale tudo isso... Mas enfim, a pior parte é saber que nada vai fazer você melhorar agora. Talvez o tempo cure, talvez não. Só que eu fico pensando...
- Talvez, talvez... TALVEZ! Talvez ele sinta o mesmo que eu, talvez eu seja uma completa idiota de pensar uma coisa dessas, talvez ele esteja tão confuso quanto eu estou, e talvez ele queira mesmo me fazer de boba... Eu tô cansada de talvez....
- Calma... Olha só, me escuta...
- EU NÃO QUERO FICAR CALMA! Eu tô cansada de dormir chorando, cansada de sonhar que ele tá tocando a campainha do meu apartamento de novo, cansada de rezar todas as noites: "Deus, se não for pra dar certo, então me ajuda a esquecer", mas parece que Deus não quer que eu esqueça, sabe? Parece que Ele quer que eu lembre de tudo sempre... o cheiro, os sorrisos, e até as idiotisses... QUE INFERNO!
- Cala a boca, caramba! Eu to tentando te dizer uma coisa...
- Ai, fala... que saco, também, viu?
- Meu! Você já parou pra pensar que pode ser complicado pra ele também?
- Tá, você acabou de dizer que não gostaria de me ver com ele de novo e agora tá defendendo? Não entendi...
- Não tô defendendo... Só que, sei lá. Vai ver ele não fez nada porque não sabe o que fazer, ou porque não quer te magoar, Marcela.
- ...?
- Se fosse pra te ver feliz, e só por isso, eu até poderia me acostumar com a idéia de você e ele estarem juntos de novo. Porque... Bom, deixa pra lá... Mas eu também não quero ser injusta.
- Ah, obrigada, mas você não tá ajudando! Ó, caiu na caixa postal...
- Meu! Você ainda tá com esse telefone? Ah, se mata! É gostar de se machucar... Tá ligando por que, afinal?
- Não sei... Mas agora chega. Pronto, acabou.

Foi assim. Depois daquele dia, ela nunca mais nem tocou no nome dele.  Eu, sinceramente, até hoje não sei se ele não gostava mais dela mesmo ou se só precisava de um tempo pra colocar as idéias em ordem... Sim, porque isso às vezes acontece. Quando as coisas surgem de repente como foi com eles, muita coisa vai ficando fora do lugar. É como uma avalanche que vem com uma força inacreditável, derrubando tudo o que vem pela frente. Nem todos estão preparados pra se deixar arrastar...

Bom, se ele só precisava de um tempo ou não, acho que agora não faz muita diferença. Ela seguiu a sua vida, trilhou um outro caminho e não olhou mais pra trás. Na verdade, acho que as suas preces finalmente foram atendidas, não era pra dar certo.

"As coisas velhas já passaram; 
Eis que tudo se fez de novo" 
(II Coríntios 5:17)

Ela se fez de novo...



Texto de algum dia que faz tempo e eu não lembro mais quando foi porque esqueci de colocar a data.