Pular para o conteúdo principal

A quem interessar

Só me diga quando é que a inquietude desse meu coração vai por fim sanar? Quando é que as perguntas que eu faço desde que eu me conheço vão ser respondidas? Por que é que eu vejo sinais que não existem, sinto os cheiros que não são mais meus e sinto a nostalgia bater tão forte, me mostrando que não sou mais criança e que agora devo agir como gente crescida que dizem que sou?

Quem souber que me diga de quantas cores se faz um amor, de quantos sabores se faz um arco-íris, de quantos perfumes se desenha o céu... Quem souber, por favor, me conte de quantos frios na barriga se faz um lar, de quantos sonhos se faz uma canção, de quantas estrelas se faz um olhar, de quantas lembranças se faz uma infância, de quantas brincadeiras de faz uma vida... São essas as dúvidas que me perseguem, são essas as perguntas que me fazem perder o sono.

Ontem, depois de sonhar com tantas melodias e depois de lembrar de toda a gente que foi passando pela minha vida e das vidas por onde passei, descobri que o perfume da lua continua vivo para me dizer que ninguém perde a sua essência. Mudaram os sabores, a essência continua a mesma, mas eu ainda preciso de respostas...