Pular para o conteúdo principal

Pra declarar minha saudade...

Hoje eu senti saudade. Depois da mesa do bar, das garrafas de cerveja, da sinceridade excessiva, do efeito passar, do sono chegar, de ter o mesmo sonho de sempre, do despertar, da dor de cabeça... hoje eu senti um aperto no peito. Vi aquelas velhas fotos, daquele tempo em que não havia contas a pagar, e senti um vazio.

Hoje, mais uma vez, me dei conta: Em um dia você está se formando no ensino fundamental, no outro passa no vestibular, e não vai demorar muito para se formar na faculdade... E as pessoas que vão ficando pelo caminho, as histórias que você vai escrevendo e desenhando nas linhas do tempo, tudo te faz lembrar que algumas dessas coisas não tem volta.

Hoje aquele sonho me fez ver, de novo, que eu quero que algumas  pessoas continuem na minha vida (ou que voltem pra ela), mas bem, algumas coisas não dependem só de mim. No sonho, tudo sempre acontece de um jeito diferente, mas sempre termina igual, do jeito que eu queria que terminasse. Mas, bem, não depende só de mim.

Hoje eu senti falta dos velhos amigos, do coração partido, do caminho de flores... hoje eu senti saudade do que eu era, do que eu queria, do que eu sonhava. Hoje eu quis continuar sonhando aquele sonho que se repete há tanto tempo. Hoje eu quis fazer minha cabeça parar de rodar...

Hoje eu só quis um analgésico e prometi parar de beber...