Relógio sem ponteiros

Olhos no relógio, em um relógio sem ponteiros.
Olhos no Senhor do Tempo, que parou o tempo pra me atormentar.
De quando em quando o tempo a se multiplicar. Mas só quando espero.
Os segundos viram minutos, minutos viram horas, horas viram dias, dias viram semanas, semanas viram meses e meses viram anos. Mas só quando espero.
Esperei cinco anos em cinco minutos.
Espero anos para viver segundos.
Que o tempo dispara e faz a espera mais longa, e os momentos mais curtos.
Mas mal chega o fim da espera, ao fim de uma piscadela, já estou a esperar mais uma vez. Num milésimo de segundo futuro-presente, que virou passado, me vi a esperar novamente.
Vivi meus segundos, que somados se fizeram meses e eu nem senti.
Só senti as esperas, e das esperas já nem me lembro.
Foram os momentos que fizeram o relógio correr com seus ponteiros, apressado -meu relógio sem ponteiros. Desses nunca esqueci.

-x-
"...Olhando o relógio
O tempo não passa
Quando eu me afasto de você
Mas se de repente
Ele fica apressado
E as horas disparam
É só porque encontrei você..."
[♪][Melhor pra Mim][Leoni]

(Obs: Preguiça de postar imagem hoje)

Postagens mais visitadas deste blog

Eu preciso de...

Pausa pro café

Sobre o amor libertário