Pular para o conteúdo principal

Papel no Chão


Eu odeio gente que joga papel no chão.
Eu odeio pegar um onibus lotado.
Odeio não ter tempo pra fazer o que eu gosto.
Eu odeio gente mal educada, odeio gente acomodada, e eu sei, aqui não é o meu lugar.
Eu cansei.
Cansei de gente que grita por aí que o mundo tá errado, mas que não faz nada pra ajudar esse mundo a mudar.
Cansei de quem me julga pelos meus erros, mas não olha os próprios.
Cansei do meu jeito infantil, cansei de mim.
Eu cansei de só aceitar e não fazer nada.
Eu cansei dessa minha "falta de tempo". Essa justificativa idiota que eu encontrei pra me acomodar.
Eu não cansei da minha rotina, mas cansei.
Eu não cansei de andar pra lá e pra cá, de ter casa só pra dormir, dormir pouco, mas eu cansei.
Eu cansei de falar demais.
Eu cansei de ser como eu sou.
Eu cansei, eu cansei!
Cansei de falar por entrelinhas que ninguém lê.
Cansei de escrever coisas que ninguém além de mim consegue entender.
O mundo é um barquinho de papel, mas o papel é de seda e tenho a impressão que a qualquer momento o barco vai afundar. Eu vou estar lá. Todos estaremos.
É triste pensar que a gente vive do jeito que vive, na correria que vive, porque alguém um dia disse que deveríamos estudar para trabalhar, trabalhar para ganhar dinheiro, ganhar dinheiro para viver sem se importar com os outros, pra se importar só consigo.
O mundo é um barquinho de papel, e eu odeio gente que joga papel no chão.